Aerofotogrametria de Balneário Camboriú, produzida pela empresa VASP Aerofotogrametria S.A., em 1969.
Projeto A Grande Foto. 

Foto sob encomenda

agradefoto-wordpress-com.jpeg
Barra Norte de Balneário Camboriú, em uma das fotografias que compõem A Grande Foto,
produzida pela VASP Aerofotogrametria, 1969. Fonte: Arquivo Histórico de Balneário Camboriú. 

Projeto A Grande Foto. 

Aerofotogrametria: a foto tirada em partes

A montagem das imagens

mapadasfotos.jpeg

A Grande Foto de Balneário Camboriú

A foto utilizada como ilustração da antiga Balneário Camboriú na home deste site é resultado do projeto “A Grande Foto”, que teve como principal objetivo o restauro de uma fotografia aérea de Balneário Camboriú, datada de março de 1969. 

 

 

Na época a imagem foi produzida pela empresa VASP Aerofotogrametria S.A., sob encomenda do então prefeito, Higino João Pio. Ao total, foram produzidas 361 fotos aéreas que, quando sobrepostas, formam uma Grande Foto de Balneário Camboriú, em escala aproximada de 1:16000.

 

 

O memorialista e antigo morador do município Carlos Alberto Schlup, de 68 anos, conta que quando o prefeito Higino Pio assumiu o cargo não existia nada na cidade de legislação ou documentação.

 

"Apesar dele ser um cara de pouca instrução, tinha uma visão administrativa boa. E mandou fazer esse levantamento aerofotogramétrico para ver quantos imóveis tinham na cidade", conta. 

 

 

A aerofotogrametria é uma técnica que consiste na utilização de registros fotográficos aéreos para obtenção de informações referentes a um determinado local do espaço geográfico, como sua hidrografia e construção das ruas, por exemplo. Para fazer o mapeamento do local é traçado um plano de voo de forma que as fotos sejam tiradas “em faixas” cobrindo, paralelamente, todo o terreno. O ideal é manter o voo em linha reta e a uma altura constante, mas também podem ser obtidas fotos em linhas diagonais.

 

O designer com pós-graduação em Fotografia Sergio Ulber, que participou do projeto de reconstrução da Grande Foto, explica que vai se encaixando uma imagem em cima da outra até que ela se transforme em uma grande foto aérea.

 

"Na época pegava-se um avião que tinha uma câmera acoplada nele, e então o avião ia fazendo tipo o desenho de uma minhoca em cima da cidade. Começava na altura da BR 101 e ia até o mar fotografando tudo, indo e voltando várias vezes até finalizar toda a área", explica. 

 

E foi seu Carlos que encontrou e disponibilizou os arquivos das fotos aéreas antigas. O senhor teria conseguido as imagens com um funcionário da prefeitura, muito amigo da sua família, que trabalhava no cadastro.

 

"Um dia conversando com ele sobre o assunto ele comentou que tinha as fotos aéreas e que conseguiria me arrumar as imagens, mas acabamos deixando o assunto morrer. Há uns 6 anos eu estava passando ali na Quarta Avenida na frente de um boteco em que, por acaso, ele estava e pediu pra eu buscar um pen drive que ele finalmente iria me passar as fotos", conta seu Carlos.

 

Na época, as imagens eram todas reveladas em negativos e depois no papel, o que acabava deixando algumas marcas nas fotos. Assim, visando o resultado estético, a proposta do projeto foi justamente refazer a montagem das fotos de forma digital e utilizando os recursos atuais, sem interferências físicas. 

 

A imagem montada apresenta um recorte do espaço, correspondente ao território da cidade, que pode ser interpretado como uma paisagem carregada de valores e características que reforçam a construção da identidade cultural da região, e revela o impressionante crescimento urbano em um curto espaço de tempo.


O projeto foi contemplado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura e seu resultado completo pode ser acessado através do seguinte link: https://agrandefoto.wordpress.com/.